Indústria | Publicado em: 21/03/2017 10:45:00

O Senai/SC, entidade da Fiesc é a terceira instituição brasileira a integrar o Consórcio de Internet Industrial (IIC).

O consórcio foi criado em 2014 nos Estados Unidos pela AT&T, IBM, GE e Intel. A criação da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), em 2016, em Joinville, é inspirada neste consórcio internacional.

A ABII tem como fundadores a Fiesc, a Embraco e a Pollux Automation, que já integra o IIC, que conta com cerca de 250 associados de mais de 30 países.

Para o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, a internet industrial está mudando a forma com que as empresas dentro de uma cadeia de suprimentos se relacionam, desde o fornecedor da matéria-prima até o cliente final.

“Aderir aos conceitos da internet industrial não é uma opção, mas um requisito da competitividade da indústria e do País”, afirma Côrte, para quem esta nova onda da revolução industrial está promovendo inúmeras mudanças na sociedade e no mundo do trabalho.

Internet Industrial, manufatura avançada, indústria 4.0 são termos que definem um fenômeno que ocorre em todo o planeta, com reflexos na economia e no comportamento humano.

Esse fenômeno está baseado na hiperconectividade, avanço do big data e de sistemas de sensoriamento, inteligência artificial e customização em massa.

O IIC é um consórcio internacional aberto, sem fins lucrativos, que está definindo a estrutura de arquitetura e as direções para a internet industrial.

A missão do consórcio é coordenar as vastas iniciativas do ecossistema que irá conectar e integrar objetos com pessoas, processos e dados utilizando arquiteturas comuns, interoperabilidade e padrões abertos.

A ABII tem como missão promover a aceleração do crescimento da Internet Industrial no Brasil e coordena um ecossistema para promover iniciativas para a integração entre máquinas, processos e pessoas por meio de conexões seguras com o objetivo de trazer resultados transformadores para as indústrias.

A Fiesc e suas entidades atuam em diversas frentes que contribuem para o incremento de uma economia baseada na internet industrial.

Em uma vertente estão os serviços educacionais, que, com cerca de 350 mil matrículas anuais, estimula a educação profissional (Senai), básica (Sesi) e executiva (IEL).

Por meio do movimento Santa Catarina pela Educação, a Federação contribui para a melhoria dos padrões educacionais do Estado como um todo.

O desenvolvimento tecnológico representa outra linha de ação, pela qual as indústrias recebem apoio para inovar e gerar novos modelos de negócio.

Os três institutos de inovação e os sete de tecnologia que o Senai está implantando no território catarinense cumprem com este objetivo.

Por fim, o fortalecimento de saúde e segurança no trabalho pretende garantir qualidade de vida dos trabalhadores, que se tornam mais produtivos e satisfeitos.

A Aliança Saúde e Competitividade e o Instituto Sesi de Inovação em Tecnologias para Segurança e Saúde no Trabalho são duas iniciativas da Fiesc para atuar nesta linha de ação.

 




Sadia retira 1800 toneladas de sal do mercado em um ano​


Tupy é a 13ª no ranking FDC das empresas mais internacionalizadas do Brasil


Indústrias de SC precisam de ensino técnico profissional


Cursos avançados em projetos, logística, plano de negócios e qualidade

Patrocinado
Patrocinado
Patrocinado

Blog do Editor






















Patrocinado





Agenda Executiva

Encontre cursos, palestras e eventos em Santa Catarina


Empregos

Pensou em mudar de empregou ou carreira?
Encontre sua nova vocação



As mais lidas







Reprodução

Permitimos a livre reprodução do conteúdo, respeitados os contextos da edição. Agradecemos a citação da fonte - www.noticenter.com.br

Endereço

Rua Petrópolis, 206 - CEP 89010-240 - Blumenau - SC
Telefone (47) 3035-4314 | (47) 3035-4316

Receba em seu e-mail



Visite as Redes Sociais

Capa | Cidades | Blog do Editor | Legislação | Carreiras | Entidades | Gestão | Indústria | Logística | Marketing | Tecnologia | Têxtil | Imóveis | Saúde | Veículos |
<—HiFRITZ—> <—HiFRITZ—>