Indústria | Publicado em: 04/08/2017 13:20:00

A Olsen completa 39 anos neste 04 de agosto. Seu fundador e principal dirigente começou a carreira formando-se como torneiro mecânico no Senai/SC e depois a manutenção de equipamentos odontológicos para uma empresa do estado, até que tomou a decisão de empreender.

Cesar começou a fazer algumas melhorias nos consultórios que o estimularam a criar a sua própria fábrica. Com muita dedicação e esforço conseguiu guardar dinheiro para comprar sua primeira máquina e iniciar a produção.

Hoje a Olsen é especializada na fabricação de equipamentos médicos e odontológicos e já está presente em mais de 100 países. A empresa aposta em produtos com qualidade, durabilidade, inovação e baixo custo de manutenção. O parque industrial, em Palhoça, tem mais de 8.000 metros quadrados e chega a produzir mais de 4.300 conjuntos por ano.

. Nosso desafio agora é o de estarmos mais próximos do nosso público alvo, os profissionais da área da saúde, para proporcionar um atendimento personalizado assim conquistar a preferência de mercado. Vamos apostar cada vez mais em equipamentos de valor agregado com base na credibilidade que a marca conquistou ao logo de sua trajetória - disse.

Ele explica que o diferencial a favor do mercado interno foi a nova postura comercial da empresa, que desde o ano passado adotou uma nova estratégia de negócio para se aproximar muito mais do seu cliente final, preferencialmente os profissionais da Medicina e Odontologia.

O departamento de vendas da Olsen foi reestruturado com a consolidação de filiais próprias em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre. Junto à fábrica, foi criada uma unidade de negócios, a filial Palhoça, com as mesmas características das demais filiais. Nos demais estados a marca conta com uma rede de representações comerciais e o suporte de uma loja virtual que tem condições de atender qualquer ponto do território nacional.

Dentro da filosofia de ter o controle do negócio da fabricação até a comercialização aos seus clientes finais, a Olsen prevê ainda este ano a abertura da filial para o Nordeste, em Salvador (BA) e outras duas na região Norte ainda em estudo, com perspectivas de ativação em 2018, para ampliar a cobertura de mercado.

No mercado internacional, a Olsen já exportou seus equipamentos para mais de 100 países de todos os Continentes, estando hoje presente nas principais feiras médicas e odontológicas do mundo. 

As exportações começaram no biênio 1996/98 e se ampliaram gradativamente mediante conquista de novos mercados e das certificações. Hoje a Olsen tem certificações CE (Comunidade europeia) e da FDA (Estados Unidos). Possui, também, com exclusividade no seu segmento, a certificação Nato/Otan.

Para o ano que vem teremos também mais lançamentos e a continuidade do projeto de expansão da marca para os Estados Unidos, onde a Olsen detecta um grande potencial para seus equipamentos tanto na linha médica como na odontológica - prossegue.

Graças às conquistas da certificação da FDA e também para o tratado Nato/Otan, Olsen prepara a participação no evento anual da Associação do Exército dos Estados Unidos, que tem sede no estado de Alabama (EUA) e onde a empresa esteve num evento no último mês de março. Esta, que é uma entidade educacional privada, apoia o Exército em desenvolvimento de projetos e eventos.

O evento anual da entidade será em outubro, em Washington, onde a Olsen estará com apoio do Ministério da Defesa do Brasil e da representação diplomática local. Serão apresentadas duas versões de equipamentos tipo Odontoportátil, desenvolvido para uso em condições extremas de campanha, um na cor verde para selva e outra na cor de areia para regiões desérticas.

 

AJUSTES ESTRUTURAIS

Com parque fabril atualizado até 2020, a Olsen pretende investir maciçamente nos próximos anos em novos conceitos de design, ergonomia, tecnologia aplicada para maior produtividade profissional.

Cesar Olsen lembra que a empresa já operou com cerca de 250 funcionários.

O  custo da mão de obra, a mecanização e automatização foram fundamentais para que a empresa enfrentasse os novos tempos em função da concorrência chinesa e principalmente a falta de sensibilidade das autoridades em atualizar as nossas leis sociais para preservação dos posto de trabalho. Com aproximadamente  100 funcionários a menos a empresa elevou a qualidade dos equipamentos, manteve sua produção e está prevista para uma média mensal de produção de 400 unidades.

Cada vez mais buscamos profissionais com formação específica, preferencialmente com segundo grau técnico para operação dos sistemas de gestão, controle da produção, operação de máquinas e visão de futuro. Embora seja oferecido pela empresa uma cesta extensa de "benefícios, não acreditamos nesta palavra e sim na "retribuição" por atitude e produtividade, pois empresa nenhuma sobrevive com leis sociais e paternalismo. Os investimentos na atividade privada sempre têm como objetivo a rentabilidade, não existe outra razão, caso contrário ficaríamos à mercê da extinção – afirma.




Tigre está pela 19ª vez no Guia Você S/A


Sadia retira 1800 toneladas de sal do mercado em um ano​


Tupy é a 13ª no ranking FDC das empresas mais internacionalizadas do Brasil


Indústrias de SC precisam de ensino técnico profissional

Patrocinado
Patrocinado
Patrocinado

Blog do Editor






















Patrocinado





Agenda Executiva

Encontre cursos, palestras e eventos em Santa Catarina


Empregos

Pensou em mudar de empregou ou carreira?
Encontre sua nova vocação



As mais lidas







Reprodução

Permitimos a livre reprodução do conteúdo, respeitados os contextos da edição. Agradecemos a citação da fonte - www.noticenter.com.br

Endereço

Rua Petrópolis, 206 - CEP 89010-240 - Blumenau - SC
Telefone (47) 3035-4314 | (47) 3035-4316

Receba em seu e-mail



Visite as Redes Sociais

Capa | Cidades | Blog do Editor | Legislação | Carreiras | Entidades | Gestão | Indústria | Logística | Marketing | Tecnologia | Têxtil | Imóveis | Saúde | Veículos |
<—HiFRITZ—> <—HiFRITZ—>