Entidades | Publicado em: 17/05/2017 11:41:00

Relator do projeto sobre a Lei da Terceirização, o deputado federal Laércio de Oliveira, vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC) e presidente da Fecomércio de Sergipe, veio a Florianópolis a convite da Câmara Trabalhista da Fecomércio SC, nesta sexta-feira (12), para apresentar os principais pontos da Reforma Trabalhista e a lei que regulamenta a contratação de terceirizados em todas as atividades, ambas aprovadas na Câmara dos Deputados nos dois últimos meses.
 
O diretor executivo Márcio S. S. Rodrigues e o assessor jurídico Pedro Klug foram os representantes do Sindilojas Blumenau na reunião da Câmara. 
 
Laércio de Oliveira defende que estas leis representam um avanço nas relações jurídicas e econômicas do país, que já conta com 13 milhões de terceirizados. Por conta das dúvidas geradas em relação à interpretação de alguns pontos, o trecho que trata da terceirização – que passa a valer tanto nas atividades meio, como na atividade fim - foi aprimorado no texto da reforma.
 
“A aprovação é resultado de um processo intenso de articulação com o governo e oposição para encontrar o melhor texto. As novas regras trazem segurança jurídica para as empresas e estimula a economia para que os empresários entrem em novos negócios e na criação de postos de trabalho formais”, pontua Laércio.
 
O desembargador do Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina (TRT-SC), Roberto Luiz Guglielmetto, também participou da reunião e trouxe a visão do judiciário sobre a modernização da legislação trabalhista. 
 
Para o presidente da Federação, Bruno Breithaupt, a terceirização permitirá a flexibilização e a modernização das relações de trabalho no Brasil.  “A Reforma vai legitimar atuais relações de trabalho e fortalecer convenções coletivas. A legislação precisava ser  atualizada para atender esta nova realidade do mundo do trabalho”, pondera Breithaupt. 
 
Conforme o presidente da Câmara Empresarial de Relações Trabalhistas e Assuntos Legais, Célio Spagnoli, as medidas também podem diminuir a ‘judicialização’, valorizar a sazonalidade de alguns trabalhos e impulsionar a formalização do mercado. A entidade está estudando os textos que alteram a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para orientar os sindicatos e empresários.
 
O advogado tributarista Lucas Rosseto encerrou a reunião explanando sobre a exclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)  da base de cálculo do PIS/Confins e as consequências da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) para as empresas.

A decisão é importante para o todo o setor produtivo, especialmente o comércio, e pode ser apontada como um avanço rumo às efetivas mudanças da carga tributária. Por estar na ponta da cadeia produtiva, o setor sente com maior intensidade a bitributação ocasionada entre a PIS e o ICMS.
 




Pesquisadores da Unisul recebem prêmio de melhor artigo em Simpósio Mundial
CDL Jovem Blumenau abre inscrições para a 2ª edição da Rodada de Negócios
Núcleo de Informática da Acirs discute melhorias com prefeito de Rio do Sul
Cresce consumo da carne suína no Brasil e exterior
Patrocinado
Patrocinado
Patrocinado
Patrocinado
Patrocinado

Blog do Editor






















Patrocinado
Patrocinado





Agenda Executiva

Encontre cursos, palestras e eventos em Santa Catarina


Empregos

Pensou em mudar de empregou ou carreira?
Encontre sua nova vocação



As mais lidas







Reprodução

Permitimos a livre reprodução do conteúdo, respeitados os contextos da edição. Agradecemos a citação da fonte - www.noticenter.com.br

Endereço

Rua Petrópolis, 206 - CEP 89010-240 - Blumenau - SC
Telefone (47) 3035-4314 | (47) 3035-4316

Receba em seu e-mail



Visite as Redes Sociais

Capa | Cidades | Blog do Editor | Legislação | Carreiras | Entidades | Gestão | Indústria | Logística | Marketing | Tecnologia | Têxtil | Imóveis | Saúde | Veículos |